Poema barulhento

Este poema barulhento,
ele foi feito para ser ouvido.
Então escuta!
Ele não tem barulho de mar calmo,
nem de chuva que bate na folha da árvore
antes de tocar o chão
e nem de galo que canta às seis da manhã
em um sítio no interior do país.
Este poema barulhento,
ele foi feito para ser ouvido.
Então escuta!
Ele é um galo desesperado
cantando atrasado
às seis e trinta e sete da manhã
em um quintal de uma casa
no meio da cidade grande.
O poema tenta falar,
mas a buzina de um carro atravessa o poema,
atropela as palavras
e você não escuta.
Então escuta!
Começa a chover no poema
uma chuva bem alta.
Um mar revolto se forma
no meio do quintal de uma casa
e o galo grita desconsolado
enquanto é levado pela enxurrada.
Mas escuta!
Este poema
ele foi feito para ser ouvido
e você vai ouvir.
Então escuta!
É um poema barulhento,
que grita todos os dias que te ama,
só que você nunca escuta.
Então agora escuta!
O galo cantou, a chuva caiu,
o mar se acalmou
e eu te amo.

Published by

One thought on “Poema barulhento

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s