Não digo

O que eu queria dizer
num poema
não pode ser dito.
É tão improvável
quanto as lágrimas que escorrem
dos olhos dos anjos
quando a gente se beija.
Tem cheiro de água
que bate na pedra
enquanto ela escorrega
de um rio pro outro.
Faz barulho
e é como se a brisa
tivesse trombado
com um pé recheado
de folhas de ervas cidreiras.
O que eu queria dizer
num poema
não pode ser dito.
É como se um galo
tentasse cantar às manhãs
sem saber que sua voz
não alcança as lonjuras.
Uma declaração
que te deixaria
em estado de afeto
ou tremendo de luto.
Não sei.
Porque eu,
eu talvez morreria
ao dizer no poema
o que não pode ser dito.
Então eu me deito
sobre o nosso infinito
E prometo: eu não digo.
E repito mil vezes pra mim
que eu não digo
não digo
e não digo
que te amo.

 

 

Published by

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s