Heranças

A comida
que me alimenta
não fui eu que inventei.
A roupa que me cobre
não fui eu que fiz.
A cama precisa de lençol;
travesseiro, de fronha;
amor, de beijo.
Eu quero dormir
como um ancestral:
sem travesseiro,
sem lençol, sem roupa,
depois de comer
o que eu mesmo cacei.
Amor sem beijo, não.

Published by

One thought on “Heranças

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s