Acho que sábado não chove

Acho que sábado não chove

Não lembrava que hoje era o seu aniversário. 

Vinte e oito de fevereiro… que sorte! Tivesse nascido no dia seguinte, teria morrido tão novo. 

Acordei sem lembrar que era o seu dia. Hoje faço aniversário de namoro. Esqueci de te contar. Faz um mês que estou, como você mesmo diria, bobo. 

Tomei café, fui ver as redes sociais e vi os posts dos seus amigos te desejando parabéns. Foi aí que lembrei que era hoje o seu dia. Você me desculparia por isso, sabia do filho que tinha. Seus amigos mandaram parabéns para o seu perfil virtual, ele ainda existe. E eu pensei bem rápido que você poderia ser como o perfil social e existir. 

Esses perfis nunca morrem. E quando o dono do perfil vai embora – como você fez, –  a foto, as mensagens, os likes ficam todos lá. Bobo é você, que podia ter ficado também.

Algumas pessoas te desejaram felicidades como se você ainda estivesse vivo. Você ficaria rindo dessas pessoas, como a gente fez. Os mais próximos mandaram mensagens bonitas, disseram que estão com saudade. Eu já disse isso também?

O Henrique postou um texto que faria você chorar. Eu sei disso porque aprendi com você a chorar por qualquer coisa. E esse texto do Henrique não é qualquer coisa, você choraria bastante. O Henrique escreve bem. 

A Isabella não foi à aula. Fiquei sabendo pelo face. Se você estivesse aqui, não deixaria ela faltar a aula, nem fazer o anúncio no face falando que não iria à aula de hoje. Pensando bem, talvez você deixasse, o texto era sobre você. E você gostava que a gente enchesse sua bola. Vaidoso.

Hoje também faz quase um ano que escrevo sobre a saudade que você deixou na gente. Queria te mostrar algumas coisas novas, você gostava de ver as novidades que eu tinha. E eu gostava de como você se interessava pelas novidades que eu te mostrava. Ia te mostrar o que estou fazendo agora. Parece coisa que você fazia. Um programa de rádio, uma namorada nova. E você era apaixonado. Ia gostar do programa. Ia se apegar à Carol. O programa se chama Dois Dedos de Prosa e Verso, nome que você aprovaria, pensei nisso quando criei. A Carol, aprovaria também.

Estou com saudades de você. Tem chovido bastante, mas logo chega sábado e acho que para de chover. Você dizia isso sobre os sábados, principalmente os que a gente ia para a sua casa beber cerveja, comer churrasco, brigar por causa da música. Você, antes de ir embora, deu pra ouvir música que a gente não gostava. Você já sabia, né? Você já sabia. 

Acordei com vontade de te mostrar as coisas novas. É bem ruim não te ver mais aos sábados. Queria tanto te mostrar a saudade que estou sentindo agora. 

Aliás, acho que sábado não chove.

1 Comment

  1. Larissa Queiroz

    Que texto meu amigo 👀. Eu não sei dizer tudo o que se sente a ler o texto assim. Mas ele se tornou tão pessoal, como eu fosse parte do que foi escrito. Parabéns . Faz um favor?? Escreva pra sempre!!!!!

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.