Heranças

A comida
que me alimenta
não fui eu que inventei.
A roupa que me cobre
não fui eu que fiz.
A cama precisa de lençol;
travesseiro, de fronha;
amor, de beijo.
Eu quero dormir
como um ancestral:
sem travesseiro,
sem lençol, sem roupa,
depois de comer
o que eu mesmo cacei.
Amor sem beijo, não.

Solto

Eu amo
quem beija
só pra saber o gosto
que o beijo tem.
Essa curiosidade
que só se mata
com saliva
e só se descreve
com versos bem soltos.
Eu amo
quem faz amor
e poesia assim,
sem compromisso.