Eu te mãe

Eu te mãe

Pensei em dizer que te amo,
mas hoje parece tão pouco.
Queria dizer sobre um amor
que dura mais que o amor…
Que dura mais (como a gente brincava)
“que o dobro do infinito”.
Juntei palavras, fiz poemas,
livros, obras incontestáveis,
mas nada superou te amar.
Até que lembrei de uma palavra
que nenhum poema,
de nenhum poeta apaixonado,
jamais superou.
Eu troquei a palavra “amor” por “mãe”
e escrevi: “eu te mãe”.
E o amor multiplicou-se,
ficou o dobro do infinito
como a gente queria.
Sim, é isso: eu te mãe!
Que é o mesmo que dizer:
“eu te amo um amor sem fim”.